Doenças de Gatos Transmissíveis ao Homem

Existem algumas doenças que são transmitidas pelos gatos aos humanos, conhecidas como zoonoses, que podem ser evitadas pela desparasitação e vacinação do animal.

Alergias

Os gatos, dado possuírem a glicoproteína Fel d1 na saliva, causam mais alergias do que os cães, podendo provocar reações alérgicas como espirros, inchaços na pele, problemas respiratórios ou a asma. A raça de gatos que não produz esta proteína é o gato siberiano.

Tinha

A dermatomicose ou tinha pode manifestar-se na pele do homem, sobretudo nas zonas de maior contacto, como mãos, braços e rosto, formando-se nelas pequenas manchas vermelhas. A tinha é facilmente eliminada com um antifúngico próprio. Os gatos persas, siameses e angorás transmitem esta doença com mais frequência.

Sarna

A sarna sarcótica é uma doença mais comum nos cães mas que pode afetar também os gatos. Ela verifica-se na pele do felino, com o surgimento de pequenas crostas que resultam na perda de pelo, em comichão e num cheiro desagradável. Para não transmitir esta doença aos humanos, os gatos devem ser isolados.

Toxoplasmose

A toxoplasmose pode atingir o homem se houver um contacto com as fezes do gato infetado, manifestando-se numa espécie de constipação, de 2 ou 3 dias. As grávidas devem ter um cuidado especial com esta doença, evitando também brincar com os gatos e servir-lhes carne crua (a doença é transmitida para o gato através da ingestão de carne contaminada).

Toxocariose

A toxocariose afeta 10% dos gatos adultos e 25% dos gatos bebés, podendo porém ser transmitida ao homem pelo contato com as fezes do gato portador do parasita toxocara cati. A doença é tratada com facilidade, mas pode provocar o surgimento de granulomas parasitários, reações alérgicas, febre, alterações no apetite, dores musculares e abdominais, tosse, anemia ou lesões oculares.

Ancilostomíase

A ancilostomíase pode ser transmitida à pessoa em contacto com o solo ou areia do gato infetado. Ela manifesta-se na pele do homem, sobretudo no pé e nas mãos, com o surgimento de lesões subcutâneas, que uma vez diagnosticadas são tratadas com facilidade.

Prevenção de doenças de animais

Para proteger o homem deve-se:

  • manter higiene na habitação,
  • lavar as mãos depois do contacto com o gato e com aquilo que o envolve (usando luvas para manejar a caixa de areia),
  • lavar e passar bem a carne e alimentos crus, evitando produtos lácteos não pasteurizados,
  • levar o gato com regularidade ao veterinário.

Para proteger o gato de doenças recomenda-se:

  • a desparasitação,
  • a vacinação,
  • manter limpa a caixa de areia,
  • aquecer a carne crua na sua alimentação.
Atualizado em 09/08/2013