Melhores Laterais Direitos de Sempre

Se nos melhores defesas centrais encontramos muitos italianos, nos melhores laterais direitos de sempre a predominância é brasileira, tendência que ainda hoje é sentida, com os casos de Maicon e Daniel Alves.

Olhando mais uma vez para trás, para o passado, estes são os melhores laterais direitos da história do futebol.

Melhores Laterais Direitos de Sempre do Futebol Mundial

  • Djalma Santos (Brasil 1948-1970): Djalma jogou quatro mundiais pelo Brasil e ganhou dois deles. No último, em 1966, jogou mesmo com 37 de anos. Primeiramente conhecido pelas suas capacidades defensivas, as suas manobras ofensivas tornaram-no também como um dos melhores laterais de sempre. É um dos dois únicos jogadores (Beckenbauer é o outro) a serem incluídos em 3 equipas All Star da FIFA.
  • Carlos Alberto (Brasil, 1963-1982): Considerado o melhor lateral direito do séc. XX, Carlos Alberto foi o capitão do Brasil no mundial de 1970, marcando mesmo o golo vitorioso da final, golo esse considerado mais tarde como o melhor golo da história dos mundiais.
  • Jose Nasazzi (Uruguai 1918-1937): "El Gran Mariscal" é considerado o melhor jogador uruguaio de todos os tempos, sendo o primeiro capitão de sempre a levantar um taça de campeão do Mundo, em 1930. Mesmo antes disso, Nasazzi já tinha levado o Uruguai a duas medalhas de ouro olímpicas e 3 Copas América.
  • Tarcisio Burgnich (Itália, 1958-1977): Passou pela Udinese, Juventus, Palermo e Napóles mas será sempre lembrado pelos seus anos no Inter, onde fez 467 jogos e venceu 5 campeonatos, 2 Taças dos Campeões Europeus e duas Taças Intercontinentais. Foi também pedra basilar da Itália nos anos 60, ajudando os "azzurri" a vencer o Europeu de 1968.
  • Wim Suurbier (Holanda, 1967-1987): Cruyff captava as atenções mas Suurbier era igualmente vital para o futebol total da Holanda. Do primeiro ao último apito, este jogador não tirava o pé do acelerador, cobrindo todo o corredor direito, tanto pelo seus clubes como pela seleção. Fez parte do grande Ajax que venceu 3 Taças dos Campeões Europeus, 7 campeonatos e 4 taças da Holanda.
  • Cafu (Brasil, 1989-2008) Mesmo na temporada final pelo Milan, com 39 anos, Cafu corria a ala direito como se tivesse 20. Taça das Taças, Liga dos Campeões, Supertaça Europeia, Campeonato do Mundo de Clubes, duas taças de Campeão do Mundo, os melhores prémios passaram pelas mãos de Cafu, o jogador com mais internacionalizações pelo Brasil.
  • Phil Neal (Inglaterra, 1968-1989): Foi uma peça fulcral no domínio do Liverpool nas décadas de 70 e 80. Quatro vezes campeão da Europa pelo Liverpool e vencedor de uma Taça UEFA, Neal marcou mais de 70 golos, sendo um exímio marcador de penalties.
  • Giuseppe Bergomi (Itália, 1979-1999) “O Tio”, alcunha decorrente do seu bigode, jogou duas décadas pelo Inter (mais de 750 jogos), quer a defesa direito, quer a defesa central, mostrando versatilidade e qualidade acima da média. Com apenas 18 anos ajudou a Itália a sagrar-se campeã do mundo em 1982.
  • Jorginho (Brasil, 1982-2002) Jorginho fez carreira em 5 clubes brasileiros e em dois Bayerns: Leverkusen e Munich, além de passar pelo Japão. Foi campeão do mundo pelo Brasil em 1994.
  • Orvar Bergmark (Suécia, 1948-1965) Este jogador da Roma fez parte da seleção nacional sueca que esteve na final do Mundial de 1958. Apesar de ser vencido pelo Brasil, Bergmark foi considerado o melhor jogador do torneio na sua posição. No mesmo ano venceu o prémio sueco Guldbollen. Foi selecionador da Suécia e ainda foi 3 vezes campeão sueco de Bandy (uma espécie de hóquei no gelo).
  • Manuel Amoros (França, 1980-1996) Amoros conquistou uma Liga dos Campeões pelo Marselha, quatro campeonatos franceses e um Campeonato Europeu pelo seu país em 1984. No entanto falhou o penalti que daria consequentemente uma Taça dos Campeões Europeus ao Estrela Vermelha de Belgrado.
  • Lilian Thuram (França, 1990-2008) O jogador com mais internacionalizações com a camisola francesa conquistou um Campeonato do Mundo (1998) e um Europeu (2000). Foi All Star da FIFA por duas vezes e também amealhou troféus nos clubes que representou (Barcelona, Juventus, Parma, Mónaco).
  • Javier Zanetti (Argentina, 1991- ) Com 39 anos Zanetti continua um poço de energia e um senhor do futebol mundial. Desde 1995 que representa o Inter, onde conquistou uma Liga dos Campeões, uma Taça UEFA, um Campeonato do Mundo de Clubes, 5 campeonatos, 4 Taças de Itália e 4 Supertaças Italianas.
  • Gianluca Zambrotta (Itália, 1994- ) Zambrotta deixou o Milan em 2012 e como jogador livre, aos 35 anos, assinou pelo Botafogo. Jogou também na Juventus e no Barcelona, mas a maior conquista foi pela seleção italiana no Mundial de 2006. Além do corredor direito também pode atuar no esquerdo com rigor. Foi nomeado Cavaleiro e Oficial da Ordem de Mérito da República Italiana.
Atualizado em 31/10/2012